Friday, November 30

Love is also Pain


Pergunto-me até quando me deixarei consumir pelos fantasmas do passado...

Tenho receio de perder a Felicidade que me oferece devido aos receios que me têm acompanhado desde que ele chegou às minhas noites.
Quando sonhamos com algo que nos parece difícil de alcançar, sonhamos com esperança e agarramos com todas as forças cada migalha que nos revela o caminho para lá... Nunca julgando, no entanto, que chegaremos a essa morada idílica.
Mas um dia atiram-nos um pedaço atado a uma fita vermelha, para que não restem dúvidas de que essa morada é para nós. E é aí, com a concretização de um sonho, que começamos a ter medo de um dia acordarmos e vermos que poderá não ser real. Às vezes tenho medo que tanta felicidade, como a que vivemos não tenha uma continuidade longa. Curioso... Ao longo destes anos, desde que o conheci, queria apenas tê-lo comigo. E, agora, que aqui estou, encontrada nos seus braços, o que sinto é tão mais forte ainda e tão verdadeiro que os medos que se criam atingem dimensões muito maiores.
Pois... É quando se têm algumas certezas que vêm de novo todas as incertezas, medos e receios...
Será mesmo o meu lugar aqui?

Pic by_funkyphotographer

5 comments:

POETA VAGABUNDO said...

mas isso é viver...
beijo vagabundo

Anonymous said...

Love is never pain. If it hurts then it is not love.

vsuzano said...

O Amor também é dor...

Dor de ver alguém partir, Dor de ver alguém doente, Dor de não poder dar mais...

Ana said...

Existem alturas em que o amor é tão forte que nos magoa só a ideia de podermos vir a perder a pessoa amada...
é dor também quando passámos tempo demais na sua sombra e, subitamente nos oferecem a luz.
Mas é essencialmente alegria, muita alegria. Uma felicidade imensa ao amar-mos alguém tão único.

Ana said...

E ele é a minha alegria mais constante:)