Thursday, January 31

Queres?



"Queres partilhar as tuas madrugadas comigo?

Partilhá-las ou sê-las?

Recriá-las, sê-las;
reconhecer no outro a premência de cada madrugada.

Quero as tuas madrugadas,
os céus hesitantes,
os instantes prementes,
os momentos decisivos.

Diz-me a noite com a ponta da língua,
escreve-a a saliva nos meus lábios vaginais,
deixa-me vê-la pelo terceiro olho do meu corpo.

É precisamente a apologia do hedonismo que escrevo.

E é novamente a apologia do hedonismo que me devolves,
enquanto te contorces, molhada,
a cada palavra que os meus lábios
desenham no meio das tuas pernas.

(...)

A forma como abres o teu corpo,
como o magnetizas para que eu caia dentro de ti,
torna-te herética no mundo
e imbuída de divindade no espaço sagrado
do movimento do meu corpo no teu.

(...)

E o movimento das tuas ancas,
quando te abandonas à cegueira líquida da minha saliva,
reescreve cada ponto,
cada vírgula,
cada traço de desejo
de exaustão
e sempre
de recomeço...

O interior da palavra é uma vulva
que cospe quando lhe tocas.
Adoro a forma como tocas as palavras...
faz-me pensar nas tuas mãos,
na forma como tocam na tua boca,
na forma como toca,
na forma como a tua saliva se estende pelo corpo.

E, uma vez mais, a imagem de quando abres as pernas
e há uma história de prazer, luxúria e hedonismo
que a minha boca escreve no meio de ti.

Quero-te! Nua, contra uma parede.
Meter-me dentro de ti. Ter-te."


Texto original de gastriv

3 comments:

Amaral said...

Obrigado pela tua visita.
Também constato que tens por aqui trabalhos fantásticos e muito... muito para ler e meditar...
Boa escrita, boas escolhas...
Está-se bem... e é pra voltar!!!

ZezinhoMota said...

Existem poesias que nos fazem refletir nas suas palavras...

Esta é uma delas, gostei...

Sobre as tuas palavras do meu post; sobre a simetria da agua e da amizade...

Claro, compreendeste que me refiro sempre à parte boa, à pureza dos sentimentos e das coisas.

Não concebo uma amizade sem ser a que considero um sentimento puro e sagrado...

À agua límpida, fresca e transparente...

Bjnhs

ZezinhoMota

S. said...

Quanto mais fortes são as palavras, mais verdadeiras...e nestas só vi verdade.