Tuesday, February 26

See No Evil

Escrevo-te,
escrevo-te na minha pele.

Misturando as tuas impressões digitais com as minhas,
reinvento-te.
Reinvento a forma como me escreves.

No flutuar do desejo
leio cada pedaço de ti com a minha língua,
e tu, tocas melodias novas
na pauta do meu corpo.



Pic by_lithiumpicnic

5 comments:

casualeblog said...

Ana, sensualidade e delicadeza em letras... Lindo demais!
Agradeço a tua visita e retribuo o teu carinho.
Volte sempre que quiseres, as portas estão abertas.
Beijo, Mel

S. said...

Não há tela melhor que o corpo para pintar as cores do desejo.

Sam said...

"...escrevo-te na minha pele."

E é tão bom quando há alguém que saiba nos ler.

Beijo grande pra ti!!!

Ana said...

Querida Ana,há momentos em que a expressão corporal transcende qualquer outra palavra!

Beijinho muito doce,:)*

S. said...

My dear,
Borboletas: sim, muitas!!Na barriga, nas pontas dos dedos e pousadas na pele, ao de leve. Nem saberíamos viver sem elas, pois não?

Vírgulas: também só há "até já!" na minha vida...em breve escrevei sobre isso.

Beijos e um fim de semana transbordante de emoções!