Wednesday, May 30

O Amor pelo Amor




Domingo, 19 de Março de 2006



Acordar a meio da noite com o coração aos pulos como se a respiração fosse rebentar naquele preciso momento.
Esquecer que se está sozinho. Que a cama está vazia e que, mesmo assim, não te apetece sair dela.
A chuva bate na janela como se alguém chamasse por ti constantemente.
Reviras-te e aninhas-te de novo no teu mundo.
Fartaste-te de ter alguém só por ter ou porque sabe bem simplesmente saber que se tem alguém.

Tu... És como eu. Fartaste-te da banalidade com que se usa a palavra amor. E agora já nem sequer a pronuncias a ninguém. Se perdeste o significado dela? Se desacreditas nos que ta disseram ao longo dos tempos? Não sei.

O Amor pelo Amor...
Esquece as palavras!
Ouve o som das gotas de chuva que suplicam por um olhar teu.
Sente o calor dos raios de sol que se rasgam intensamente só para sentirem o toque da tua pele.
Abre os braços e abraça o vento, porque ele sopra louco na ânsia de te encontrar.
Faz castelos na areia, mergulha no mar, passeia pelo campo, sente o cheiro das flores... Porque todos mostram o seu esplendor só para ti.

Esquece tudo, esquece todas as banalidades do dia-a-dia, esquece as conversas de ocasião, esquece os compromissos, as promessas, as desilusões, esquece.

Ama sem medo, sem receios.

Eu estou farta desta censura. Aborrece-me que todos me digam que devia fazer "assim ou assado", porque lhes custa quando me vêm sofrer.
Mas o que é afinal o amor sem sofrimento? Será que ainda acreditam em contos de fadas?
Eu acredito em ti, só em ti se existires e acreditares no que digo não só por dizer. No que sinto sem receio de o continuar a sentir.
Umas lágrimas aqui, outras ali. Umas noites sem dormir. O jantar que se esqueceu. O ar pálido de saudade. Tudo em vão, dizem-me...

Mas eles não viram, não sentiram o suave toque da tua pele. O teu sorriso brilhava de tantas e tantas formas em cada momento que me olhavas. Não sabem, não sentem a beleza do que me disseste tantas vezes com um simples olhar.
Censuram-me, dizem-me que devia ter alguém, que fique sempre, alguém que me dê estabilidade. Mas nunca me perguntaram se era isso que eu queria. Não é. Quero apenas guardar-te comigo. Não como uma caixinha de jóias ou como um objecto qualquer. Quero guardar-te como és.
Perguntam-me se todos os riscos, ou todo o sofrimento é compensado pelos breves momentos em que existimos juntos... Nesta utopia.
A minha resposta é um sorriso mudo.

Se me perguntares o significado da palavra amor, não to saberei decerto dizer.
Sei uma coisa, tal como a chuva, o sol, o vento sabem de mim...
O Amor pelo Amor não se exprime por palavras.







(E aqui fica este espaço em branco para que saibas que é aqui, nele, que está exprimido o meu amor por ti)

Este post é um dos meus textos favoritos que escrevi para ti. Portanto nesta fase, neste blog seria uma grande lacuna não o colocar... Tu sabes bem porquê.

Pic by_Complejo

9 comments:

ivirus said...

hesitei em ser eu a tecer o 1º coment neste post sentimental, mas adoro este blog n resisti, cá vai: "Censuram-me, dizem-me que devia ter alguém, que fique sempre, alguém que me dê estabilidade.... Quero apenas guardar-te comigo. Não como uma caixinha de jóias ou como um objecto qualquer. Quero guardar-te como és." --> o amor a k deste liberdade voltará sempre para te amar, "O Amor pelo Amor não se exprime por palavras", ninguem te diz o k sentir ou quando, apenas sentes e kuando sentes e exprimes, teces estes textos maravilhosos! felicito novamente a tua expressividade arrebatadora.
abraços simpática amiga, e mtas felicidades

olhos cor do lago said...

Não te deves deixar influenciar pela "censura" dos outros. Mas deves ouvir as opiniões, para poderes ter o conhecimento das experiências dos outros (sejam elas boas ou más)...

Mas não é preciso sofre-se continuamente para se sentir o amor, que é um sentimento espontâneo e livre.

Beijinhos...

PS: Aquela do hárem, era uma metáfora....

Verde said...

Cada gota é uma nota
Que seduz o coração
De quem ouve o marulhar
Escorrer em sua mão

Estalam as folhas no alto
No afago de suave vento
Alguma se irá soltar
Dando tom ao sentimento


Profético beijo

Putty Cat said...

UAU!

Li sem pausas! FANTÁSTICO!

Parabéns

Pcat

vida de vidro said...

Na verdade, cada um de nós sabe aquilo que precisa que não é forçosamente aquilo que quer/anseia. O amor é indefinível, de cada vez que o sentimos.**

túlio hostílio said...

adorei e de uma forma muito especial esta frase: Ama sem medo, sem receios...muitos baqueiam nesta frase....

Bia said...

Simplesmente Maravilhoso! Censura? mas o que é isso? quem se julga no direito de censurar os nossos desejos? Entendo-te tão bem Ana...
Há momentos lindos que valem uma vida, há riscos que se correm... mas o amor é para cada um o amor perfeito... não tem que ser igual.
O que importa mesmo é o que nos vais no coração.
Beijinho

bettips said...

Escolhi este lugar para te agradecer a passagem no meu sítio. Mas todos falam de amor, escorrido e sentido, poderia ter escolhido outro. Ama pois em todos os tons, em todos os poemas e prosas: é tempo disso para ti! Abç

madrugada said...

Este texto está brilhante.

É impressionante como estas tuas palavras me transportaram para um mundo longe deste que é o meu.

A continuares a escrever assim;
quem não gostaria de ser transportado!?!

Belo,
Os meus parabéns.