Thursday, May 31

Confusão




Trocaste-me as voltas, hoje.
O que faço agora?
Com todas as decisões que tomei?
Caminhamos desencontrados.

Não me peças nada agora
nada te poderei dar,
quando estou a tentar curar
o meu coração partido.

Eu devo estar bêbada, hoje,
ou anestesiada de qualquer forma.
Não posso voltar,
agora não.


Pergunta-me de novo,
depois
se ainda assim o quiseres...
Agora não consigo dizer nada mais.

6 comments:

Lu@r said...

Talvez seja a vez de alguém insistir em ti.

Beijo ainda mais adormecido

Mateso said...

Vivo ,apenas e somente..viverei.. sempre., mesmo que alma me doa e a vontade me impeça...

POETA VAGABUNDO said...

....beijo vagabundo para ti e para as tuas palavras

A.S. said...

Na matemática do amor, por vezes há duas linhas paralelas que se encontram!


Um beijooo...

Som Do Silêncio said...

Por vezes os trilhos da vida desencontram-se... mas logo se voltam a encontrar...
Um poema muito bonito.

Um Beijo em Silêncio

Sei que existes said...

A ver se esses desencontros passam a ser encontros!...
Beijinhos